quinta-feira, maio 26, 2022

O frio e a pele

Como as baixas temperaturas afetam a pele e os cabelos, e o que é possível fazer para protegê-los

Por Nelson da Luz Junior

Há quem ame, há quem odeie, mas uma coisa é certa: os meses de frio exigem alguns cuidados específicos com a saúde. Nesses tempos o número de casos de algumas doenças respiratórias, como a gripe, costuma aumentar, assim como o número de campanhas de prevenção a elas.

Se agalhe, higienize as mãos, procure evitar ambientes fechados são algumas das recomendações comuns e importantes durante o inverno. Usar protetor solar, o mantra do verão, também poderia ser.

O assunto muitas vezes fica em segundo plano, mas também é importante se preocupar com a pele durante as estações mais frias do ano. De acordo com a dermatologista Camila Dezanetti, no inverno a transpiração diminui por conta do frio, o que associado a banhos mais quentes e demorados, provocam uma remoção mais intensa da oleosidade natural da pele. A consequência disso é uma pele mais sujeita ao ressecamento.

A atenção também serve para o cabelo. Banho quente pode até ser bom, mas segundo Camila, o hábito estimula as glândulas sebáceas do couro cabeludo, e acentuar sua descamação. Traduzindo: caspa.  “O ideal é manter a temperatura do banho em torno de 36 graus”, recomenda.

Camila acrescenta outros cuidados e dicas.

1

Hidratantes

Um bom investimento para esses meses é em hidratantes, que segundo a dermatologista fazem bem mais do que perfumar e deixar a pele com um toque de maciez. São produtos com ativos capazes de reter moléculas de água nas camadas mais profundas da pele e outros que evitam a evaporação formando uma proteção na superfície.   

É importante, porém, evitar hidratantes comuns se sua pele for acneica ou oleosa. Nesses casos, bem como em outras áreas de maior oleosidade, como o tórax, use as versões oil-free.

Produtos que contenham ureia a 10%, PCA-Na, manteigas e os óleos, como a manteiga de karité e óleo de amêndoas, alantoína e o fucogel são bons exemplos de hidratantes corporais.

2

Cabelos

Para cabelos e pele, banho muito quente não é legal. Camila recomenda a lavagem com água morna, e é importante retirar totalmente o xampu e o condicionador.  Usar o secador é uma dica para evitar que o couro cabeludo fique úmido por muito tempo. “Às vezes torna-se necessário uso de produtos com ácido salicílico, piritionato de zinco, enxofre, sulfeto de selênio, entre outros”, acrescenta.

3

Lábios

Sabe aquele hábito de passar a língua nos lábios para molhá-los? Evite, pois isso só piora o ressecamento. O ideal é recorrer aos hidratantes e umectantes labiais, assim como os batons hidratantes, no caso das mulheres.

Protetores, ceras ou cremes labiais, que contenham na formulação ingredientes como cera de abelha ou de carnaúba, vitamina E, vaselina, manteiga de Karité, aloe vera e óleo mineral são bem-vindos. A aplicação pode ser feita a cada duas horas.

4

Alimentação

Comer hortaliças, legumes e frutas faz bem para muitas coisas, inclusive para a pele. Tais alimentos são fontes de vitaminas e mineiras que neutralizam radicais livres prevenindo o envelhecimento da pele. Anote: nessa época do ano são recomendadas frutas como o morango, a laranja, a mexerica e o limão, ricas em vitamina C, e vegetais, como o brócolis, o repolho e a cenoura. Ricas em vitamina E, selênio e antioxidantes, a soja, as castanhas, nozes e amêndoas, também são recomendáveis.  

Além dos alimentos também é importante manter o consumo de pelo menos dois litros de água por dia. Chás brancos ou de frutas são boas opções de líquidos quentes.

5

Rosto

Quem tem a pele do rosto oleosa também precisa se precaver. Segundo Camila, pessoas com esse perfil podem ter problemas como a dermatite seborreica, que causa descamação localizada em torno do nariz, nos supercílios, atrás das orelhas e no couro cabeludo.  

Vale ressaltar também os cuidados com quem tem pele oleosa na face, que podem apresentar aumento da oleosidade e, até mesmo, uma piora desta, com surgimento da dermatite seborreica (aquela descamação localizada ao redor do nariz, nos supercílios, atrás das orelhas e no couro cabeludo), nesta época do ano.

“Isto também acontece devido ao ressecamento da pele, por isso pacientes com pele oleosa também podem ter pele desidratada. Para estes, deve se evite usar hidratantes ´comuns´ nas áreas de pele oleosa, e buscar produtos oil free, que melhoram a hidratação e não aumentam a oleosidade”, diz a dermatologista, que recomenda ainda evitar lavar a face com água quente e evitar alimentos gordurosos.

6

Sol

O sol pode parecer menos intenso, e até convidativo, mas não é inofensivo no inverno. As radiações UVB, responsável pela queimadura solar, e a UVA, vilã do envelhecimento cutâneo, continuam ali. Portanto, use diariamente filtro solar com fator 30 ou maior.  

7

Banho

Além de evitar os banhos quentes e demorados, evite ensaboar-se demais e usar buchas, que de acordo com Camila, contribuem para alterar a composição do manto hidrolipídico, um hidratante natural produzido pelo organismo. Logo após o banho, use hidratante.

8

Joelhos e cotovelos

Por possuírem menos glândulas sebáceas, essas são regiões do corpo com alto ressecamento. A situação piora por conta do frio, vento, ar seco e banho quente. O tratamento diário com produtos com alta dosagem de ureia, ou seja, cerca de 20%, ajudam a esfoliar a finar a pele.

Óleo de amêndoa, ácido láctico, lactato de amônia e alantoína são outros ingredientes recomendáveis.

Ultimas Notícias