quarta-feira, maio 25, 2022

Inquieto observador

Gilbert Antonio, colunista do Grupo Diário, lança seu novo livro: “Sofisticadas Inquietudes”, com textos inspirados no olhar do autor sobre as pessoas

Por Nelson da Luz Junior

Alguém que constrói percepções olhando para todos os lados, e as transforma em experiências. Seria possível descrever desse modo o conjunto de inspirações que o artista plástico, professor e articulista do Grupo Diário, Gilbert Antonio, se utilizou para escrever o seu terceiro livro, “Sofisticadas Inquietudes”, publicado recentemente pela Editora Gramma.

Na descrição do autor, a obra é uma coletânea de textos escritos a partir de sua percepção das pessoas e de seus comportamentos. Aos 50 anos de idade, Gilbert acumula histórias de anos como agitador cultural, produtor de moda e frequentador de círculos sociais em Pato Branco e nos vários lugares onde já morou.

Ele conta ter aliado sua bagagem com a influência de escritores e pensadores como Gilles Lipovetsky, Zygmunt Bauman, Jorge Forbes e Leandro Karnal. “Eu presto atenção nesses olhares, e nas vertentes que esses olhares se inspiram e se baseiam, e como se procura perceber tais comportamentos”, diz o autor.

O autor não nega que arrisca fazer leituras: “Eu comento sobre a ansiedade dessa geração, essa fobia social, essa carência, das relações que se estabelecem mais por carência do que para viver a entrega e a descoberta. Eu continuo sendo um sonhador incorrigível, acredito mesmo nas relações”.

Gilbert Antonio começou a escrever poesias aos 11 anos de idade, mas seu primeiro livro foi “Ensaios”, com textos inspirados no realismo fantástico, publicada em 1991 pela Gráfica Vicentina, por meio de um projeto do então banco Banestado.

Três anos depois, o autor fez parte de uma coletânea de poesias com vários autores da região sul do país. Em 2004 veio O Encanto do Caos, um livro com cartas de amor, publicado de forma independente por meio do patrocínio de empresas locais.

Apesar do hiato entre as obras, Gilbert nunca parou de escrever. O intervalo, conta ele, tem a ver com as dificuldades para financiamento de obras literárias. Gilbert escreve colunas sociais às quartas e sábados no Diário do Sudoeste, e também assina os artigos de moda da Revista Vanilla.

“Sofisticadas Inquietudes” foi lançado primeiramente nas principais plataformas digitais, como Google Play, Apple, Amazon, Kobo, livrarias Cultura, Saraiva, Folha e Travessa.

Em setembro deve acontecer um evento para lançar a obra no Rio de Janeiro, sede da editora Gramma. Na sequência, o livro está disponível para venda nas livrarias. Gilbert adianta que deverá lançar a obra em Pato Branco, em eventos que devem acontecer no Senac e na loja Casa Pretto.

A obra conta com capa e design gráfico de Gabriel Canto; fotografia de Cahê Viana; prefácio por Telma C. Sasso de Lima e revisão ortográfica de Maria do Socorro Brito Teló.

Vanilla publica um dos textos do livro “Sofisticadas Inquietudes”

Eu amo o que você não é,

O que está nas entrelinhas,

Nas palavras não ditas,

Nos silêncios eventuais.

Eu encontro você, onde não te imaginas estar,

Estando, parece querer partir,

Partindo, crê que deveria ficar.

Eu respeito você em sua indiferença, ou insignificância para si e para outro,

Eu não te explico,

Tampouco te defino.

Amo-te, porque escolhi te amar independentemente da forma, da inteligência estudada ou da sedução previsível demais.

Quando te imagino em meus braços,

É de solidão que me desfaço,

Laço & Compasso,

Porque afinal, eu te amo assim: livre. Te desembaraço e me enrosco de novo. O que quero viver ultrapassa todo e qualquer entendimento – Não são necessárias explicações, tampouco conjecturas.

Vem, se aproxima, estende os braços e me abraça. Você vai perceber que a gente se encaixa, na faixa, fora da caixa. Abaixa tua guarda e me invade sem pedir licença.

Ultimas Notícias