quinta-feira, maio 26, 2022

Histórias e glórias do futsal

Pato Branco vive uma fase promissora com o Pato Futsal, time que dá sequência a uma longa trajetória de conquistas e momentos marcantes para o esporte local       


Por Adenir Brocco e Nelson da Luz Junior

1965- O jovens da rua Aimoré (Jorua). Em pé: José Pagnoncelli, João Bernardo (Alemão) Keulbeck, Antônio Camozatto. Agachados: José Luiz Nichelle, Valir Mezzomo e Dolivar Lavarda.

O futsal de Pato Branco vive uma de suas melhores fases. Depois de conquistar mais um título da série prata, a equipe Pato Futsal está disputando simultaneamente a série ouro do campeonato paranaense e a Liga Nacional, o que coloca o time não só na elite do futsal local, como também do Brasil.

Não raro, os torcedores lotam o ginásio Dolivar Lavarda, viajam para acompanhar o time em jogos fora de casa, compram camisetas e as vestem com orgulho, tietam jogadores e a equipe também vive boa fase administrativa com forte apoio de várias empresas.

O clima é de otimismo, mas esta não é a primeira vez que times formados em Pato Branco surpreendem. A trajetória da modalidade remonta aos anos 1960, e pelo caminho já vieram pelo menos três grandes equipes, alguns ídolos e vários títulos. 

A história do futsal em Pato Branco teve sempre à frente a família Lavarda. Tudo começou com o contabilista Dolivar Lavarda, que foi jogador, técnico e dirigente em praticamente todas as gerações de destaque do futsal local.  

Ele e seus amigos montaram uma equipe da rua em que residiam em 1965, o Juventude da Rua Aimoré (Juruá), que disputava partidas contra outros times da cidade, geralmente nas quadras do antigo batalhão de Polícia Militar, na rua Tocantins, entre as esquinas com a rua Carlos Roberto Carraro, mais conhecida como ladeira do Beto, e a rua Tapir, onde hoje há um terreno baldio.

O jovem Lavarda foi ganhando gosto pelo futsal, modalidade que praticaria e articularia durante toda sua vida. Posteriormente, ele fez um time do Escritório Pinheiro, onde trabalhava e depois foi sócio. Nestes tempos, meados dos anos 1970, o futsal era difundido em Pato Branco por meio dos citadinos, torneios disputados geralmente entre equipes formadas por empresas, clubes sociais e associações.

1970- Time do escritório de contabilidade Pinheiro, nos tmepos dos citadinos entre empresas, associações e clubes. Lavarda é o primeiro à esquerda, em pé

Lavarda também foi um dos fundadores do Grêmio Industrial Pato-branquense, instituição que teve um papel fundamental para o desenvolvimento do esporte na cidade. Na década de 1980 foi criada equipe de futsal do Grêmio Industrial Patobranquense, da qual Lavarda foi técnico e dirigente. Este foi o primeiro time a trazer grandes conquistas para Pato Branco.

Nas dependências do clube, que funciona no bairro Santa Terezinha, também foi construído um grande ginásio, o Colosso da Baixada. Além disso, o clube também foi um dos pioneiros a trabalhar com categorias de base, a partir do ano de 1985, trabalho que ao longo dos anos ajudou a revelar talentos como o jogador Alexandre Pato, que se destacou nos campos.

Em 1982, o Grêmio Industrial Patobranquense conquistou o título da Taça Tarobá, na época, o principal torneio de futsal do estado. Em 1989 veio o bi-campeonato, conquistado por um time que contava com Lavardinha, Marcelo Barp, Kikinho e Sandro Pallaoro, que fez nome como presidente da Associação Chapecoense de Futebol, e foi uma das 71 vítimas do acidente com o avião do clube, em novembro de 2016 na Colômbia. O Grêmio também foi o campeão da Taça Tarobá de 1990. A competição tinha um veículo como prêmio para a equipe campeã.

1982- O Grêmio Industrial Patobranquense, nos tempos da conquista da Taça Tarobá, primeiro título importante do futsal de Pato Branco

A equipe do Grêmio Industrial Patobranquense foi campeã da Taça Paraná de 1990, que equivale ao atual Campeonato Paranaense da Série Ouro. No hexagonal final, disputado no Clube Curitibano, o Grêmio foi campeão invicto, com cinco vitórias e um empate. Na época, o Grêmio quebrou uma hegemonia de dez anos das equipes da capital.

O time tinha à frente Dolivar Lavarda e Elói Damo. O técnico era Écio Verona e a maioria dos jogadores de Pato Branco e cidades próximas, como São Lourenço do Oeste (SC). Os goleiros eram Marcelo Barp e Jerry, e os demais jogadores Vilsinho, Kikinho, Lavardinha, Maccari, Márcio, Aldo, Sandro Pallaoro, Celsinho Braghini, Tico Mico, entre outros.

1989- Grêmio, bicampeão da Taça Tarobá, Sandro Palloro (em memória), é o primeiro à esquerda, Marcelo Barp carrega a taça, e Lavardinha é o segundo da direita para a esquerda

Em 1991, o time do Grêmio participou da Taça Brasil de Futsal, primeira competição nacional que contou com a participação de um time de Pato Branco, que não passou da fase eliminatória. A disputa aconteceu na cidade de Rio Grande, Rio Grande do Sul.

Clube Atlético Patobranquense

Com o fim do time do Grêmio, em 1992, no ano seguinte Dolivar Lavarda e um grupo de desportistas da cidade criaram o Clube Atlético Patobranquense.

1992 – Em Rio Grande (RS), o Grêmio participa da Taça Brasil, primeira competição nacional disputada por um time de Pato Branco

Até aqui, esse foi o clube mais vencedor do futsal de Pato Branco. Foram quatro títulos dos Jogos Abertos do Paraná, que na época era tão difícil conquistar como o atual campeonato Estadual. Além disso, foi campeão da Série Prata, em 2002 e ganhou o inédito título da Série Ouro, em 2006.

1998- Atlético Patobranquense enfrenta o Internacional, na ocasião Campeão Mundial de Futsal. A equipes venceu o Inter por 9 a 3

O título da Série Ouro era perseguido deste 1997, quando o Atlético chegou à decisão, mas perdeu em casa para o Foz do Iguaçu, por 3 a 2.
Com a falta de patrocinadores, a equipe se licenciou de 1999 a 2001. No retorno, em 2002, conquistou o título da Série Prata. Dolivar Lavarda morreu em 2004 e o diretor da Faculdade de Pato Branco (Fadep), Eliseu Miguel Bertelli, assumiu a presidência e a equipe seguiu na disputa da Série Ouro.

2002 – Atlético campeão Paranaense série Prata

Em 2006, o empresário Frederico Araújo foi aclamado novo presidente, mas depois se licenciou e o então vice-presidente Valentin Martignoni (Chiquinho) assumiu a presidência do clube, que conquistou o inédito título do Campeonato Paranaense da Série Ouro.

No primeiro jogo da decisão, o Atlético venceu o Umuarama, fora de casa, por 5 a 3. No jogo de volta, em Pato Branco, mesmo com o ginásio de esportes Dolivar Lavarda lotado, o Atlético teve que suar para empatar o jogo por 3 a 3 e comemorar o título.

O gol do título foi marcado por Lavardinha, filho de Dolivar e capitão da equipe, que emocionado ergueu a taça de campeão. No final da partida, os jogadores Marcelo Serrão e Léo exibiram uma faixa dizendo “Dolivar Lavarda, missão cumprida: campeão 2006”.

A equipe campeã era treinada por Sérgio Lacerda e tinha como preparador-físico Marlon Battisti. Goleiros: Paulo Lodo, Éder e Genésio, demais jogadores, Vando, Marcelo Serrão, Léo, Lavardinha, Luciano, Alemão, Alex Gaúcho, Alex Maranhão, Katata, Fernandinho, Jonathan, Douglas, entre outros.

O time também possui no currículo uma grande vitória por 9 a 3 sobre o Internacional, que na ocasião era o campeão mundial de futsal. O jogo amistoso aconteceu em meados de 1998, no Ginásio Dolivar Lavarda, em Pato Branco. As equipes se enfrentaram em outras duas ocasiões, com vitórias do Atlético por 6 a 0 e 8 a 2.

2006 – Jogadores comemoraram a conquista do Paranaense da Série Ouro, até então a maior conquista do Futsal de Pato Branco

O Atlético prosseguiu disputando a Série Ouro até 2009. No ano seguinte, houve nova desistência pela falta de patrocinadores. Nesse período, Pato Branco também teve um forte time feminino, que conquistou o título dos jogos abertos de 2008. A iniciativa também findou por falta de patrocínio.

Pato Futsal

Em 2010, Luiz Sérgio Lavarda, o Lavadinha, criou a Lavarda Esportes e assim surgiu o Pato Futsal. A equipe foi campeã da Série Prata, em 2011, quando voltou a disputar a Série Ouro por vários anos. Depois houve desistência pela falta de patrocinadores e no retorno, em 2016, conquistou novamente o título da Série Prata.

A equipe de 2016 já era treinada por Márcio Borges. O elenco tinha os goleiros Pablio e Caíque e os jogadores Léo, Rafael Koglin, Luan, Augusto, Ramon, Robério, Rafael, Juninho, Levi, Diego, Jam Guimarães, Alex Maranhão, entre outros.

2016- Pato Futsal conquista o seu segundo paranaense da série Prata

Nesta temporada a equipe foi totalmente renovada para a disputa do Estadual da Série Ouro e da Liga Nacional de Futsal (LNF). Do elenco do ano passado permaneceram somente o goleiro Pablio, o ala Jam Guimarães e ala/pivô Robério. Foram contratados Simi, Rodrigo Trentin, Nem, Batalha, Pitoko, Rodriguinho, Juninho, Neguinho, Rangel, Léo, Danilo Baron, Jamur, Diego e os goleiros Di Fanti e Fernando. O técnico é Márcio Borges, supervisor Irio Daroz Brol, preparador físico, Alexandre Junior Buffulin (Duda), preparador de goleiros Thiago Tomas de Avila (Tomate) e o atendente (massagista) Anderson Nether (Adocica).


Rivalidades

Na época da disputa da Taça Tarobá, os grandes rivais do Grêmio eram equipes do Oeste do estado, principalmente Cascavel e Foz do Iguaçu.

Essa rivalidade prosseguiu com o Atlético, que em 1997 perdeu o título em casa para o Foz do Iguaçu. Depois surgiram outros rivais, como o Guarapuava e o Umuarama, quando o Atlético conseguiu o inédito título de 2006.

Atualmente o grande rival do Pato Futsal é o Marreco, de Francisco Beltrão. Além da disputa em quadra, existem as provocações entre torcedores. Mesmo que o jogo não seja entre as duas equipes, os torcedores tiram “sarro” uns dos outros em casos de derrotas e até quando um time está na frente do outro na classificação, levando faixas para o ginásio.

No entanto, é uma rivalidade sadia, sem brigas, que contribuiu para a evolução do futsal na região, tradicionalmente com grandes equipes do Pato Futsal e Marreco, ambos disputando o Paranaense da Série Ouro e a Liga Nacional de Futsal.

2017- O elenco do Pato Futsal na temporada 2017. Time está na elite do futsal brasileiro, disputando a Liga Nacional e o Campeonato Paranaense série Ouro

Matéria publicada originalmente na revista Vanilla em junho/julho de 2017  (Fotos: Arquivo Família Lavarda)

 

Ultimas Notícias