quinta-feira, maio 26, 2022

Edificação Solidária: uma campanha contra o câncer

Lançado em abril, movimento busca arrecadar recursos para a construção da nova estrutura da Unidade Oncológica, através do desafio do meio milhão

Por Cristina Vargas com assessoria

Profissionais da área da saúde, lideranças regionais e a população em geral têm um grande desafio a ser vencido até julho deste ano, que é arrecadar R$ 500 mil para modernizar a Unidade Oncológica de Pato Branco.

Para isso foi lançada em abril a campanha Edificação Solidária, que, com a colaboração de todos, pretende angariar fundos para a construção da nova estrutura que servirá de apoio ao acelerador linear Clinac IX, da empresa Varian, equipamento que modernizará o tratamento do câncer no município.

O acelerador já está sendo produzido nos Estados Unidos, graças a doação de aproximadamente U$ 1,3 milhão da Itaipu Binacional, viabilizados com o apoio do deputado federal Fernando Giacobo. Deve chegar ao Brasil até o fim de maio, segundo informou o médico Ivânio Guerra, diretor do Hospital Policlínica, na ocasião do lançamento da campanha.

O valor arrecadado através da mobilização será destinado para adequação da casamata da Unidade Oncológica e estrutura de apoio. De acordo com Ivânio, o acelerador linear é um equipamento de alta tecnologia, que produz radiação e precisa ser blindado. Por isso, a casamata que abrigará o acelerador deverá ser adequada a sua potência, para impedir que a radiação atinja a população. É uma questão de segurança.

Somente a porta da casamata, explicou Ivânio, pesa cerca de 2.500kg. Só pode ser aberta com motores e custa cerca de R$ 80 mil; as paredes têm meio metro de espessura e o teto, feito de material especial, custa quase R$ 200 mil.

Derli José Fischer, Vlademir Dall Ross e Vilson Balbinotti estão trabalhando na adequação estrutural para a implantação do novo acelerador, mantendo contato frequente com o Grupo Gestor. Esse é um trabalho complexo e com muitas demandas que permitirá a execução dessa nova etapa na Unidade Oncológica.

Para levantar o valor, a Fundação Sudoestina de Combate ao Câncer, o Grupo de Apoio a Mama (Gama) e o Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico e Social (Irdes), com apoio do Instituto Policlínica Pato Branco, estão se unindo para buscar junto a autoridades, lideranças e comunidade o valor em tempo hábil.

Dando o exemplo, o presidente do Irdes, empresário Cláudio Petrycoski, fez uma doação de R$ 50 mil. A Fundação Sudoestina de Combate ao Câncer doou R$ 20 mil e o Hospital Policlínica também disponibilizou R$ 50 mil. Em solidariedade à causa, o Gama doou o valor necessário para que a porta seja adquirida, cerca de R$ 80 mil.

Como ajudar?

Organizadores do movimento de arrecadação criaram contas correntes nas instituições financeiras parceiras, para que sejam feitas doações exclusivas para a campanha Edificação Solidária. São elas: Sicredi –  Conta corrente 13525-3 Agência 0737; Sicoob – Conta corrente 24.660-3 Agência 4390-7; Uniprime – Conta corrente 003175-5 Agencia: 4401; Evolua – Conta corrente 10.174-5 Agencia: 0113-9; e Cresol – Conta corrente 2008-7 Agência 26.936-0.

O criador da campanha, Marcelo Dalle Teze, contou que foi criado o site www.meiomilhao.com.br, por voluntários, para auxiliar os interessados em contribuir. Os agricultores também podem ajudar, autorizando as cooperativas a destinarem sacas de soja para a campanha.

Tratamentos

A presidente do Gama, Cleuza Alves Chiochetta, contou, na ocasião do lançamento, que realizou tratamento do câncer em Pato Branco por acreditar na qualidade dos serviços, que agora poderão ser potencializados.

Ivânio Guerra destacou que o equipamento permitirá o emprego de novas tecnologias; aprimorará a qualidade nos tratamentos via Sistema Único de Saúde (SUS) e convênios; possibilitará, futuramente, trabalhos de oncologia pediátrica; sem contar que permitirá também a ampliação do número de atendimentos de pacientes ao dia.

Atualmente, cerca de 140 pacientes recebem atendimento diariamente e o número tende a ser ampliado com o novo equipamento, gerando, inclusive, incremento de receitas para a economia. Hoje o Serviço de Oncologia atende 22 municípios pelo SUS, sendo 15 sudoestinos e sete catarinenses, de localizadas vizinhas, atendendo uma população próxima de 300 mil habitantes, que futuramente poderá ser ampliada.

Para a presidenta da Fundação, Carmelina Aque Lora, o avanço trará mais conforto e praticidade para as famílias, que terão tratamentos cada vez mais modernos, com efeitos colaterais minimizados, e em Pato Branco.

Ultimas Notícias