quinta-feira, maio 26, 2022

Road trip de respeito

Durante cinco anos, casal vai viajar pelos cinco continentes a bordo de um motorhome. Projeto “Vivendo 5 Continentes” vai ser registrado, mas de leve: os viajantes não querem ser escravos das redes sociais.

Entrevista: Marcilei Rossi – Texto: Mariana Salles

Em agosto de 2020, enquanto o mundo estava de ponta-cabeça, o engenheiro civil e ex-motociclista Julio Botto estava em uma zona de conforto muito grande: aposentado, estudando a bolsa de valores, já estava fazendo robôs para não precisar ficar pajeando o mercado todo dia. Um dia, debruçado sobre esse mercado de capitais e trocando figurinhas com sua esposa, Silvia Regina Soberay, teve um estalo: “Vamos dar a volta ao mundo?”. “Vamos!”.

Mas como se faz para dar uma volta ao mundo? Compra uma passagem até Paris? De lá vai pra Londres, depois pra Madri, depois Estambul? Convenhamos que isso não é dar a volta ao mundo, e sim conhecer algumas cidades turísticas importantes.

Julio queria mesmo é passar pelos lugares menores, ficar imerso em cultura e costumes, saber como as pessoas de outros lugares vivem. Quando percebeu, estava embarcando na escolha da empresa que iria montar a casa onde vai viver nos próximos anos, mas ela está sobre rodas.

“Eu não fazia ideia do que um motorhome precisava ter: um, dois ou três quartos, ou mesmo nenhum; se precisava ter fogão, forno, pia; se tinha que ter água quente; quanto eu tinha que ter de água; nada”, comenta.

Para dar formato a ideia, o casal começou seguir, nas redes sociais, pessoas que fizeram viagens parecidas, normalmente casais mais jovens e mochileiros, até chegarem ao formato ideal do projeto que chamaram de “Vivendo 5 Continentes”, onde vão viajar nos próximos cinco anos por mais de uma centena de países a bordo de um motorhome.

Roteiro

Julio e Silvia colocaram o pé na estrada no dia 5 de dezembro e vão passar por cerca de 120 países. A aventura começou em Curitiba, onde eles moram, e de lá seguem até Ushuaia, na Argentina. Vão percorrer a costa Oeste da América do Sul, América Central e América do Norte, até chegar ao Alasca, nos EUA, em Prudhoe Bay, considerada a última cidade do hemisfério Norte. De lá, vão de costa a costa do Canadá, saindo do Oceano Pacífico até o Oceano Atlântico. Fazem o mesmo nos Estados Unidos: primeiro na região Norte, começando de Nova York, e depois no Sul, descendo até Keywest, na Flórida.

Em Miami o casal embarca seu motorhome em um navio e segue até Portugal, onde exploram o país. Passam por um pedacinho da Espanha, desçendo no Estreito de Gibraltar, onde uma balsa os levará até o Marrocos. Após visitar o país, passam por uma cidade da África, voltam para a Espanha, depois seguem pela França, Reino Unido, Irlanda, Bélgica e seguem até os Países Nórdicos, São Petersburgo e alguma coisa da Rússia. De lá, visitarão o Oriente Médio, Jordânia, Israel e depois para o Egito. Voltam ao Oriente Médio, seguem pelo Sudoeste asiático e, dependendo da condição política do momento, passam por Miamar, Vietnã, Camboja e Laos. Entram na Malásia, Indonésia e Brunei.

“Nosso projeto inicial era entrar na China, Japão e Coreia do Sul com o motorhome, mas com a minha carteira de habilitação não consigo. Por isso, deixo nossa casa em Brunei. Faço uma excursão nesses países de trem e ônibus, volto para Brunei, passo novamente na Malásia, vou pra Austrália, Nova Zelândia, novamente para a África, atravesso o Atlântico Sul, desço no Uruguai e subo de volta até Curitiba”, diz Julio.

O viajante explica que alguns países ficaram de fora porque tem culturas que vão absolutamente contra a sua educação. “Esses nós vamos contornar”.

Motorhome

Roteiro definido, Julio teve que pensar no veículo que será sua casa pelos próximos cinco anos. Espaçoso, ele conta que gosta de banhos agradáveis, então uma das prioridades era um box grande e que ele fosse separado de sanitário e pia. A cama grande também foi uma prioridade, para que o casal pudesse dormir bem, sem aperto.

Como gosta de estar conectado, ter sinal de internet no meio do nada era outro desejo, algo que Julio espera que seja realizado em breve. Por enquanto, ele utiliza a internet de serviços de telefonia móvel, através de chips que pretende trocar em cada país que entrar. “De onde estiver, poderei fazer chamada de vídeo para enxergar meus netos, filhos, amigos e as pessoas que eu gosto”, acredita.

Além disso, todas as torneiras têm água quente e fria e a cozinha é muito bem equipada. “Mas nós precisamos ser minimalistas. Só não abro mão de ter uma cafeteira”, comenta.

No caminho

A motivação para encarar tantos quilômetros é, sem dúvida, a aventura, algo que sempre fez parte do seu dia a dia. Mas não é só isso. Julio e Silvia também querem fazer alguma coisa em prol das pessoas que precisam. “Não necessariamente uma caridade com recursos, mas de carinho, de estar mais próximos. Um exemplo muito bacana é quando você está com a criança e ela pede pra tirar uma fotografia e depois ela pede pra ver e fica louca de feliz. Ato contínuo, você vai embora e ela nunca mais vê a foto. O que pretendo fazer? Comprei uma Polaroid, aquela câmera que ele produz a foto na hora. Quando a criança me pedir a fotografia, eu vou conseguir entregar um produto, ela vai ter a lembrança de uma passagem do ‘Vivendo 5 Continentes’ para o resto da vida”, explica.

Julio acredita que trocar um pouco dos recursos que ganhou na minha vida por conforto para pessoas que não têm nada é oferecer seu trabalho em troca da alegria e bem-estar. “A gente sabe que tem muita gente no mundo inteiro que vive em um desconforto danado. Quando digo desconforto, é desconforto alimentar, de vestuário, de habitação. São pessoas que gostam de ouvir a sua história, de se sentirem importantes, de trocar ideia com você. E a gente consegue fazer isso de alguma forma: trocar ideias, propor novas experiências. Todo mundo tem chance, todo mundo pode ser alguém”, define.

Sempre pressa

A ideia de Julio é dirigir pouco por dia, diferente de quando tinha moto, que chegou a rodar 1.600 quilômetros de uma só vez. “O que a gente vê são pessoas que fazem essas viagens com dia e hora marcada. Isso me assusta porque acredito que eu não tenha que ir embora, mas tenho que ficar até o dia que achar que já conheci as pessoas, a cultura, a forma que aquela população vive. Não quero que se torne uma obrigação ter que ir embora porque está na hora, não. Eu não tenho hora. Todos os lugares que a gente colocou no roteiro são os nossos lugares prediletos. São muitas vantagens que a gente tem quando diz que não tem obrigação nenhuma”, avalia.

Na Itália, por exemplo, Julio quer passar por águas termais que define como “inacreditáveis”. Quer passar pela Grécia sem pressa, visitar os pequenos vilarejos na França. “É difícil dizer que a gente não tenha várias curiosidades em um mesmo país que justifique que a gente fique mais de um dia, até uma semana”.

Família

A parte mais difícil dessa super road trip é deixar a família. O casal tem dois filhos, um morando em Manais e o outro em Porto Alegre. Tem também dois netos, um de 11 anos e outro de 2. “A gente não pode estar preso à vontade dos filhos e dos netos. O que deixa a gente pensativo é que vamos ficar um tempo muito grande longe, e a gente deixa de acompanhar, não a vida dos filhos, mas o crescimento dos netos. Quando a gente voltar, um vai ter 7 e outro 16”, lamenta.

Para finalizar, Julio diz que “a vida está passando, e ela corre, por muitas vezes, numa velocidade superior ao que é permitido na estrada. É muito veloz, e a gente não percebe até que seja a hora de pendurar definitivamente as chuteiras porque você não consegue fazer mais nada. Eu quis reverter isso tudo e investir em um projeto em que eu pudesse conhecer o mundo inteiro”.

Acompanhe o projeto “Vivendo 5 Continentes”

Ao acessar o site www.vivendo5continentes.com.br, as pessoas terão acesso às redes sociais (Youtube, Instagram e Facebook) em que o casal vai publicar sua rotina. No site ainda terá um diário de bordo onde tudo que merece lembrança estará registrado com fotografias e textos pequenos. “Não queremos virar um escravo das redes sociais, esse não é o nosso objetivo”, finaliza Julio.

Ultimas Notícias